Goeldi (fotógrafo e data não identificados). Museu Paraense Emílio Goeldi / Arquivo / Coleção Fotográfica.

1894 - O Ciclo da Borracha na Amazônia

De 1890 a 1910, o Pará se tornou o maior exportador de borracha do mundo. Os lucros desse comércio deram a Belém nova fisionomia e novos hábitos. Apesar do esforço do Governo do Estado em recuperar o Museu Paraense, faltava direção científica e pessoal habilitado. O governador Lauro Sodré manda vir do Rio de Janeiro o naturalista Emílio Goeldi, demitido do Museu Nacional por questões políticas após a Proclamação da República. O zoólogo suíço assumiu em 9 de junho de 1894 a direção do Museu Paraense. Teria irrestrito apoio do governo para transformá-lo num centro de pesquisa de renome internacional.