1914 - A grande desilusão

A década de 1910 iniciou com uma grande desvalorização da borracha amazônica no mercado internacional, provocada pela concorrência inglesa. Logo depois sobreveio a deflagração da 1ª Guerra Mundial, interrompendo de vez o comércio com a Europa. Era a ruína financeira da Amazônia, com a pobreza rondando todos os segmentos da população. A crise chegou a inviabilizar a própria manutenção do Estado, prejudicando drasticamente o Museu Goeldi. Todas as atividades científicas e educacionais foram interrompidas. Emília Snethlage, então diretora, foi a única pesquisadora a permanecer na instituição. Viu os últimos momentos do agonizante museu.