Viveiro de aves no Parque Zoobotânico (fotógrafo e data não identificados). Museu Paraense Emílio Goeldi / Arquivo / Coleção Fotográfica.

1921 - A estagnação amazônica

Nos anos seguintes ao choque da borracha, a economia da Amazônia sofreu uma retração sem precedentes. No Museu Goeldi, problemas funcionais forçaram Emília Snethlage a transferir-se para o Museu Nacional (RJ), em dezembro de 1921. Assumiu a direção o médico Antônio Ó de Almeida, senador no Congresso Estadual e genro do ex-governador Lauro Sodré. Ficou na direção até 1930, período em que o Museu esteve em total abandono. Apenas o Parque Zoobotânico permaneceu funcionando. Não fosse o zelo de alguns funcionários, como Rodolpho Rodrigues, preparador de botânica e zoologia que chegou a ser diretor interino, tanto as coleções quanto a biblioteca teriam se perdido.