Você está aqui: Página Inicial > Notícias > A posse da nova diretora do Museu Emílio Goeldi

Agência de Notícias

A posse da nova diretora do Museu Emílio Goeldi

Em meio a vegetação exuberante do Parque Zoobotânico, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações dá posse à bióloga Ana Luisa Albernaz como diretora do Museu Goeldi no quadriênio 2018-2022. Em seu discurso, a pesquisadora destacou como mais importante desafio a contribuição da ciência na formulação de políticas públicas em defesa da sociobiodiversidade e da manutenção dos serviços ecossistêmicos da Amazônia.
publicado: 28/08/2018 18h24 última modificação: 28/08/2018 18h24

Agência Museu Goeldi – Na manhã desta terça-feira (28), o Museu Paraense Emílio Goeldi escreveu mais um importante capítulo de sua história: a bióloga Ana Luisa Albernaz foi empossada como nova diretora da instituição. Ela será a 30ª gestora e a quarta mulher a assumir este cargo em mais de um século e meio de trajetória institucional. A cerimônia foi realizada em Belém, com atividades no Parque Zoobotânico e no Campus de Pesquisa da instituição, envolvendo autoridades, comunidade técnico-científica, dirigentes de órgãos de comunicação, estudantes, educadores, visitantes, artistas e comunitários. A cerimônia de posse aconteceu no mesmo dia em que se celebra os 159 anos de nascimento do zoólogo suíço Emílio Goeldi, naturalista que consolidou a instituição.

Discurso – “É uma honra dirigir a mais antiga instituição científica da Amazônia”. Foi com essa frase que a pesquisadora iniciou seu discurso de posse, em frente ao Castelinho, no quadrante histórico do Parque Zoobotânico. Ao longo da sua fala, foram abordados pontos importantes como: a situação paradoxal de enfrentar desafios de pesquisar o maior bioma brasileiro, vasto e complexo, marcado por intensas transformações e por uma extraordinária sociobiodiversidade; o desafio da ciência em contribuir para a manutenção da diversidade e dos serviços ecossistêmicos da Amazônia; a urgência de contribuir com a garantia de uma vida digna às suas populações e a situação de redução acentuada do quadro técnico-científico do Museu Goeldi e dos investimentos em ciência e tecnologia no País.

“Assumo o Museu Goeldi com o espírito de buscar manter seu quadro de servidores unido e disposto a enfrentar toda sorte de desafios para a manutenção da diversidade regional, do desenvolvimento científico e da comunicação da ciência, principalmente relacionados à Amazônia, e de tentar ampliar o escopo de atuação da instituição para que ela possa acompanhar os novos desafios que surgem e as necessidades de inovação”, concluiu Ana Luisa Albernaz.

 

 

O diretor de Gestão das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gustavo Zarif Frayha, representando o ministro Gilberto Kassab, deu posse a Albernaz, saudando a nova diretora da instituição: “Pode ter certeza, Ana, que a confiança que foi depositada em você foi uma conquista sua pelo trabalho desenvolvido ao longo de muitos anos e pelo empenho em defender a ciência brasileira. O seu currículo lhe qualifica muito bem para fazer uma grande gestão, com criatividade e sabendo contornar as dificuldades. Conte com o apoio do ministério naquilo que for possível”, declarou. Na ocasião, Gustavo Frayha também divulgou que o ministro Kassab solicitou a abertura de concurso público (1.050 vagas), para as 16 unidades de pesquisa como também para o ministério. O MCTIC foi representado na solenidade também pelo coordenador das Unidades de Pesquisa, Sanderson Medeiros Leitão.

Plantio – Seguindo a tradição do Museu Emílio Goeldi, Ana Luisa Albernaz plantou um exemplar de ipê-amarelo, o que marca o início da gestão e reforça o compromisso da diretora com a missão institucional.

O gesto também foi acompanhado por autoridades e convidados, que plantaram mudas de neve tropical (Aglaonema dieffenbachia), para lembrar que o Museu Goeldi é resultado de uma construção coletiva: Gustavo Zarif Frayha e Sanderson Medeiros Leitão representaram o MCTIC; Marcel Botelho, reitor da Universidade Federal Rural da Amazônia, representou as universidades parceiras; Alex Fiúza de Melo, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, foi o representante do Governo do Pará.

O representante das instituições de pesquisa parceiras foi Walkymário Lemos, da Embrapa Amazônia Oriental; a pesquisadora Ima Célia Guimarães Vieira foi a representante dos ex-diretores do MPEG; a pesquisadora Maria de Lourdes Ruivo e o técnico Alcemir Aires representaram a comunidade técnico-científica goeldiana; João Meirelles Filho, do Instituto Peabiru, representou os visitantes e parceiros do Museu Goeldi; o educador Luiz Videira e alunos do Clube do Pesquisador Mirim foram convidados para representar a comunidade escolar; o cônego Roberto Carvalho Júnior, da Fundação Nazaré de Comunicação, representou os veículos de comunicação; a professora Fernanda Martins, da Universidade da Amazônia, foi a representante da classe artística.

Equipe de gestão – O segundo momento da cerimônia de posse aconteceu no Auditório Paulo Cavalcante, do Campus de Pesquisa, com a presença maciça da comunidade técnico-científica da instituição. Ex-diretora do Museu Goeldi entre os anos de 2005 e 2009, a ecóloga Ima Vieira fez a leitura da mensagem do antecessor de Ana Luisa Albernaz, o linguista Nilson Gabas Júnior, ausente da solenidade para retomada de suas atividades de pesquisa no exterior. Em seu texto, ele citou alguns desafios enfrentados e conquistas alcançadas ao longo de seus oito anos e meio à frente da instituição, agradeceu a dedicação de todos e desejou bom trabalho à nova titular.

Gustavo Frayha reiterou seu interesse em contribuir com a consolidação das pesquisas e serviços oferecidos pelo Museu Goeldi, enfrentando especialmente as restrições orçamentárias com que o setor se depara nacionalmente. O diretor apresentou o recém-nomeado coordenador das Unidades de Pesquisa do MCTIC, Sanderson Medeiros Leitão, que saudou o Museu Goeldi por sua posição estratégica na produção de conhecimentos e proteção do bioma amazônico.

Como diretora empossada, Ana Luisa Albernaz destaca seu particular interesse em estreitar a relação entre as atividades de pesquisa e as de comunicação, o que motivou, inclusive, o ato simbólico de realizar a cerimônia nas duas bases de pesquisa do Museu Goeldi em Belém.

Ela anunciou parte da equipe de gestão que atuará nos próximos quatro anos, destacando que o redesenho do quadro ainda está por se completar. Ex-presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), entre os anos de 2007 e 2012, o antropólogo Márcio Meira assume a Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação; o biólogo Alexandre Bonaldo assume a Coordenação de Zoologia; a agrônoma Ely Simone Cajueiro Gurgel assume a Coordenação de Botânica; o geólogo José Francisco Berrêdo assume a Coordenação de Ciências da Terra e Ecologia. Permanecem em suas funções, a Diretora Substituta e Coordenadora de Administração, Roseny Mendes; a Coordenadora de Comunicação e Extensão, Maria Emília Sales; o Coordenador de Planejamento e Acompanhamento, Amílcar Mendes e a Coordenadora de Ciências Humanas, a arqueóloga Helena Lima (recém agraciada com o Prêmio Rodrigo Mello Franco).

 

Texto: Phillippe Sendas e Erika Morhy.