Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Estímulo à criação de jardins botânicos nos municípios brasileiros
conteúdo

Agência de Notícias

Estímulo à criação de jardins botânicos nos municípios brasileiros

Atualmente, no Brasil, a Rede Brasileira de Jardins Botânicos reconhece 160 instituições que desenvolvem atividades de jardim botânico. Destas, apenas 24 jardins são reconhecidos oficialmente pelo governo brasileiro. O Parque Zoobotânico do Museu Goeldi está entre eles
publicado: 07/11/2017 17h45, última modificação: 10/11/2017 15h26

Agência Museu Goeldi - A Rede Brasileira de Jardins Botânicos (RBJB) e o Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM) assinaram um Termo de Cooperação para a formação e criação de jardins botânicos durante a 24º Reunião da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, que iniciou no último dia 6 no Museu Paraense Emílio Goeldi, em Belém. É a segunda vez que o Parque Zoobotânico do Museu Goeldi sedia a reunião da rede. Atualmente, a cidade de Belém conta com dois jardins botânicos: o Zoobotânico do Museu Goeldi e o Bosque Rodrigues Alves.

Cooperação pela criação de valores e valorização dos jardins botânicos do BrasilAtualmente, no Brasil, a RBJB reconhece 160 instituições que desenvolvem atividades de jardim botânico. Destas, 71 estão associadas à rede. Todavia, apenas 24 jardins são reconhecidos oficialmente pelo governo brasileiro. O Museu Paraense Emílio Goeldi está entre as 24 instituições. Os jardins botânicos podem ser enquadrados em três categorias – A, B e C. Os espaços assim reconhecidos tem como características, entre outras, o desenvolvimento de pesquisas visando a conservação de espécies, o desenvolvimento de programas na área de educação ambiental, além de possuir coleções especiais representativas da flora local.

O IBAM presta assessoria para a qualificação da gestão municipal e colabora com várias prefeituras da Amazônia Legal, desenvolvendo programas voltados para a sustentabilidade e visando a melhoria da qualidade de vida da população. O termo de cooperação é para incluir a criação e formação de jardins botânicos no Programa de Qualificação da Gestão Ambiental, desenvolvido pelo IBAM e financiado pelo Fundo Amazônia. Neste trabalho, a RBJB contará com a assessoria do Museu Goeldi e do professor Enio Candotti, diretor do Museu da Amazônia (MUSA).

As organizações pretendem estimular os municípios da Amazônia Legal para criar hortos botânicos especializados na flora amazônica, como jardins ex situ, com plantas que vieram de outros locais de origem e foram adaptadas ao ambiente, como é o caso do Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, e jardins botânicos in situ, área de vegetação nativa protegida, como é o caso do Bosque Rodrigues Alves.

De acordo com João Neves Toledo, presidente da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, a celebração desse termo de cooperação permitirá multiplicar a mensagem e o conceito dos jardins botânicos, sensibilizando as prefeituras para a conservação da flora, educação ambiental e a valorização do principal ativo da natureza brasileira – a sua biodiversidade.  

Serviço: 24º Reunião da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, de 06 a 10/ 11/2017, no auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém-Pará.

Texto: Marco Aurélio Gomes