Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Série temática sobre a fauna livre do Parque do Museu Goeldi
conteúdo

Agência de Notícias

Série temática sobre a fauna livre do Parque do Museu Goeldi

Reportagens abordam detalhes de quatro animais e brindam os leitores com mascotes de papel
publicado: 29/01/2015 19h30, última modificação: 09/02/2018 13h27

Agência Museu Goeldi - Você sabia que o Museu Paraense Emílio Goeldi mantém 15 espécies de mamíferos, répteis e aves fora do cativeiro em seu Parque Zoobotânico? Se você ainda não os conhece, esta é uma boa oportunidade para saber um pouco mais sobre os animais da Amazônia.

No dia 5 de fevereiro, o Museu Goeldi lançará a série “Viva a Fauna Livre”, primeira edição do projeto "Viva Amazônia", que pretende apresentar ao público informações sobre a Amazônia a partir dos acervos do MPEG. A ação é coordenada pela Escola da Biodiversidade Amazônica, subprojeto do INCT - Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia.

"Viva a Fauna Livre" apresentará os hábitos, características e peculiaridades de seis espécies curiosas do seu Parque Zoobotânico, são elas: duas espécies de cutia (Dasyprocta leporina e Dasyprocta prymnolopha), o tamanduaí (Cyclopes didactylus), a garça-branca-grande (Ardea alba) e as preguiças comum e real (Bradypus variegatus e Choloepus didactylu).

Todas as quintas-feiras do mês, uma matéria com informações sobre esses animais será lançada no Portal e nas mídias sociais do MPEG – Facebook e Twitter.

Além de se informar, o leitor poderá ter miniaturas em papel dos animais da série. Baixe os arquivos com as instruções de montagem que acompanham as reportagens, disponibilizadas semanalmente a partir do próximo dia 5. Após baixar, é só imprimir, montar e se divertir com os personagens.

Fauna Livre - Além daquelas mantidas nos viveiros, os visitantes do Parque Zoobotânico do MPEG podem observar outras quinze espécies de animais circulando livremente pelos ambientes do zoológico: as cutias (Dasyprocta leporina e Dasyprocta prymnolopha), a paca (Agouti paca), o tamanduaí (Cyclopes didactylus), o porco-espinho (Coendou sp.), a preguiça-comum (Bradypus variegatus), a preguiça-real (Choloepus didactylus), o guará (Eudocimus ruber), a iguana (Iguana iguana), a garça (Ardea alba), as marrecas- irerê (Dendrosygna viduata), a marreca-cabocla (Dendrosygna autumnalis), a arara piranga (Ara macao), a arara vermelha (Ara  chloropterus) e o papagaio-do-mangue (Amazona amazonica).

Entre outros fatores, a fauna livre do Parque Zoobotânico é importante no auxílio aos processos biológicos de manutenção e de restauração da vegetação do local, pois grande parte destes animais conduzem sementes de plantas entre as áreas do Parque, num processo conhecido como zoocoria.

Serviço: Lançamento da série “Viva a fauna livre”. Toda quinta-feira do mês de fevereiro, uma nova reportagem e uma miniatura de papel. Fique de olho no Portal MPEG, Facebook e Twitter.

Texto: Mayara Maciel