Você está aqui: Página Inicial > Um tributo a Horácio Schneider (1948-2018)

Agência de Notícias

Um tributo a Horácio Schneider (1948-2018)

publicado: 28/09/2018 14h20 última modificação: 28/09/2018 14h27
Um tributo a Horácio Schneider (1948-2018)

Um tributo a Horácio Schneider (1948-2018)

Obrigado, professor Horácio Schneider!

A comunidade científica sofreu esta semana uma grande perda.

O Prof. Dr. Horácio Schneider, da Universidade Federal do Pará, faleceu na madrugada do dia 27 de setembro. Geneticista, com estudos publicados sobre vários grupos zoológicos, mas, em especial de primatas e peixes, Horácio Schneider teve uma relação estreita e antiga com pesquisadores do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), tendo sido colega de faculdade de alguns e professor de outros. Durante os estudos de impacto ambiental das hidrelétricas de Tucuruí (PA) e Samuel (RO), participou de expedições junto com as equipes do MPEG, quando foi coletada boa parte dos primatas dessa área hoje depositados na coleção de mamíferos do Museu Goeldi. No período em que esteve ligado ao Instituto de Estudos Costeiros do Campus de Bragança da UFPA (do qual foi diretor), colaborou frequentemente com pesquisadores do Programa de Estudos Costeiros – PEC/MPEG. Manteve estreita parceria com o primatólogo José de Sousa Silva Junior (Cazuza) e com o ornitólogo Alexandre Aleixo, ambos pesquisadores da Coordenação de Zoologia do Museu Goeldi, com os quais publicou trabalhos em co-autoria. Schneider também era docente do curso de Pós-Graduação em Zoologia (UFPA/MPEG). Mencionamos aqui, certamente, apenas parte do vínculo de Horácio Schneider com o Museu Goeldi.

Horácio Schneider deixa um legado importante e fundamental para a pesquisa no Brasil, especialmente na Amazônia, como cientista e professor da UFPA, sua instituição alma mater onde também desempenhou diversas funções administrativas com empenho e dedicação. Suas contribuições também se estenderam às sociedades brasileiras de Genética e Primatologia e ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

É com pesar, portanto, que a comunidade científica do Museu Goeldi recebeu a notícia de seu falecimento. Nesse momento registramos nossa pequena e sincera homenagem e prestamos nossa solidariedade aos familiares, amigos e aos demais colegas da comunidade científica paraense que também sentem o impacto da partida desse grande mestre.

Para aqueles que queiram se despedir, o velório acontece nesta sexta-feira, 28/09, até às 16h, no Memorial Max Domini (Av. José Bonifácio, 1550). A Reitoria da UFPA decretou luto oficial de três dias na instituição, em sua homenagem.

Belém, 28 de setembro de 2018

Museu Paraense Emílio Goeldi