Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Coleções > Biológicas > Botânica

Botânica

publicado 21/02/2018 11h16, última modificação 06/12/2018 15h10
Começaram no Museu Goeldi com o naturalista suíço Jacques Huber, em 1895, quando ele criou o primeiro herbário da Amazônia. As primeiras amostras foram coletadas, principalmente, na região de Belém e arredores. Mas, os avanços do MPEG nos estudos pioneiros sobre a flora nativa, culminaram em um rápido incremento de acervo, com o acréscimo de amostras de várias outras regiões amazônicas, incluindo também de biomas vizinhos.
Entre os botânicos notáveis que contribuíram com a estruturação e enriquecimento do herbário MG destacam-se nomes como Adolfo Ducke, João Murça Pires, Walter Egler, Paulo Cavalcante e Ricardo Secco. Atualmente, estão disponíveis para o estudo neste herbário mais de 230.000 amostras de angiospermas, gimnospermas, pteridófitas, briófitas, fungos e líquens.
Agregadas ao herbário, o MPEG foi constituindo mais coleções importantes como a Xiloteca Walter Egler, com mais de 7000 espécimes; uma coleção de plantas aromáticas, que inclui aproximadamente 1000 espécimes herborizados; uma palinoteca, com aproximadamente 8000 lâminas palinológicas; uma carpoteca, com mais de 2000 amostras de frutos; uma coleção de plântulas, que possui mais de 150 espécimes; e uma coleção de botânica econômica, em fase de estabelecimento.



Acervo