Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Conexão Amazônia-Pantanal: seminário debate consolidação do Instituto do Pantanal
conteúdo

Agência de Notícias

Conexão Amazônia-Pantanal: seminário debate consolidação do Instituto do Pantanal

O mês de julho inicia com instituições, cientistas e redes de pesquisa debatendo ações para fortalecer o Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal (INPP), criado em 2014, e sediado no Campus avançado do Museu Goeldi no Mato Grosso.
publicado: 03/07/2017 16h15, última modificação: 12/01/2018 17h26

Agência Museu Goeldi – Nesta quinta-feira (6), será realizada a primeira edição do seminário sobre a Consolidação do Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal (INPP), na Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá. O evento discute, entre outros pontos, o fortalecimento do INPP e busca ainda estreitar parcerias firmadas entre pesquisadores das regiões amazônica e pantaneira.

O Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal, conforme a lei 12.954, é uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O INPP surgiu com a finalidade de articular e integrar ações na região do Pantanal, promover iniciativas e propiciar o desenvolvimento de modelos e de bancos de dados para subsidiar a transferência do conhecimento científico gerado na região. Atualmente, o instituto está vinculado ao Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), responsável pelas ações científicas e de infraestrutura da unidade, que abriga atividades de diversas redes de pesquisa no Campus Avançado que mantém no Mato Grosso. O Museu Goeldi é ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Programação – Cientistas de várias instituições de ensino superior e de pesquisa participarão do Seminário, que será mediado pela geóloga Maria de Lourdes Ruivo, pesquisadora do Museu Goeldi e Coordenadora do Plano de Ações de Pesquisas do INPP. Seis representantes de institutos de pesquisa participam da mesa-redonda “Diálogos sobre a consolidação do INPP”: além de Ana Vilacy Galucio, Coordenadora de Pesquisa e Pós-Graduação do Museu Goeldi, participam ainda Myrian Serra, Reitora da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Liane Maria Calarge, Reitora da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Marcelo Turine, Reitor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e Ana Di Renzo, Reitora da Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT).

Outro ponto de interesse no evento é a discussão sobre os Programas de Pesquisa Ecológica de Longa Duração (PELD). Por iniciativa do Governo Federal, o PELD articula, desde o final dos anos 90, uma rede de sítios de referência para a pesquisa científica em Ecologia de Ecossistemas. Além do debate sobre o trabalho desenvolvido pelo programa em âmbito nacional, será também lançado o PELD Pantanal, o primeiro projeto do INPP, sob a coordenação de Carolina Joana da Silva, professora da Universidade do Estado do Mato Grosso. Conheça o sítio PELD implantado na Estação Científica Ferreira Pena/MPEG, na Floresta Nacional de Caxiuanã, clique aqui.

Na programação, está previsto ainda o lançamento do livro “Escassez hídrica e restauração ecológica do Pantanal”. Organizada pelos pesquisadores Solange CastrillonJoão Ivo PuhlFernando Ferreira de Morais e Alessandra Morini Lopes, a obra surge como uma referência no estudo sobre a recuperação de nascentes e a conservação dos recursos hídricos do Pantanal.

Perspectivas – Desde a sua criação, o Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal vem se destacando pela sua capacidade de agregar competências relacionadas ao bioma pantaneiro. Além da relevante produção científica, marcada pela publicação de livros, artigos em periódicos e a realização de eventos, o INPP se tornou um importante espaço de articulação entre pesquisadores que atuam em biodiversidade e em áreas úmidas, aproximando-se cada vez mais os estudos sobre o Pantanal e a Amazônia.

Segundo a Dra. Maria de Lourdes Ruivo, o seminário é uma ótima oportunidade para apresentar o trabalho desenvolvido pelo INPP, além de agregar e fortalecer parcerias com outros programas de pós-graduação e novas instituições de pesquisa. A pesquisadora torce para que o evento seja mais um passo importante para tornar o INPP independente ainda em 2018, questão essencial para sua formalização como centro de pesquisa e para a consolidação de suas ações.

Amazônia e Pantanal – Pará e Mato Grosso são dois estados que, recorrentemente, lideram as listas de desmatamento no Brasil. Essa conexão Amazônia-Pantanal, além de uma parceria científica, desponta como uma importante rede de pesquisadores preocupados com a preservação desses dois biomas, e com a produção de conhecimento em torno deles.

Lourdes Ruivo fala sobre a relevância do trabalho desenvolvido pelo INPP, levando em conta a importância da biodiversidade do Pantanal e os riscos à sua conservação: “Tanto o Pará, quanto o Mato Grosso são estados onde a fronteira agrícola está avançando, principalmente com o agronegócio. Nesse cenário, um instituto de pesquisa como o INPP, que agregue as competências regionais, implemente novos estudos e colabore com a formação e fixação de pesquisadores, é fundamental para a preservação e desenvolvimento sustentável do Pantanal”, explica Ruivo.

Texto: Phillippe Sendas.

 

Serviço:

1º Seminário sobre a consolidação do Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal (INPP/MPEG/MCTIC).

Data: 6 de julho de 2017.

Local: Auditório do INPP – Campus Avançado do Museu Goeldi (Cuiabá-MT).

Programação

6 de julho de 2017

14h – Recepção e boas-vindas

14h30 – Cerimônia de abertura

15h – Mesa-redonda: “Diálogos sobre a consolidação do INPP”

Mediação: Dra. Maria de Lourdes Ruivo – Coord. do Plano de Ações de Pesquisas do INPP/MPEG/MCTIC

Participantes:

Dra. Ana Vilacy Moreira Galucio – Coord. de Pesquisa e Pós-Graduação do Museu Emílio Goeldi (CPPG/MPEG/MCTIC)

Dra. Myrian Serra – Reitora da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)

Dra. Ana Di Renzo – Reitora da Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT)

Dra. Marcelo Turine – Reitor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)

Dra. Liane Maria Calarge – Reitora da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

16h – Debate

16h30 – Apresentações:

Programa PELD no Brasil – Dra. Márcia Brito (CNPq)

Programa PELD Pantanal – Profa. Dra. Joana da Silva (UNEMAT/CNPq)

Estação Ecológica Taiamã – Fernando Xavier/Daniel Kanteck (ICMBio/Estação Eco Taiamã).

17h30 – Lançamento do livro “Escassez hídrica e restauração ecológica no Pantanal” – Profa. Dra. Solange Ikeda (UNEMAT/PPGCA).

18h – Apresentação cultural