Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Periódico do Museu recebe nota máxima em avaliação feita pela CAPES
conteúdo

Agência de Notícias

Periódico do Museu recebe nota máxima em avaliação feita pela CAPES

Conteúdo de qualidade em uma diversidade de canais
publicado: 03/02/2017 15h45, última modificação: 19/02/2018 15h43

O ano de 2017 trouxe logo em seu início duas boas notícias para o Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Humanas.

Um crescimento no conceito Web Qualis de Linguística de B2 para A1 e a reinserção no Diretório de Periódicos de Acesso Aberto o DOAJ. Estar no nível mais alto do conceito estabelecido da Capes – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal Superior - para classificar revistas científicas e figurar entre os periódicos de livre acesso, revela a qualidade de um dos periódicos mais antigos do Brasil.

Para o diretor do Museu Goeldi, Nilson Gabas Jr., “o resultado positivo da avaliação reflete a importância e a atenção que a instituição dá à publicação dos resultados das pesquisas sobre a Amazônia, e ao trabalho incansável de toda a equipe na editoração das revistas”. De acordo com Gabas, o processo editorial foi recentemente readequado, em função de mudanças nas exigências dos avaliadores e indexadores. “Tivemos que fazer mudanças tanto de pessoal técnico, editores associados, e editoria executiva, quanto de trâmite administrativo, como a publicação exclusivamente online, contratação de empresa especializada em formatação .xml, e utilização de software específico para o controle e trâmite de submissões. E o resultado apareceu, até antes do que se imaginava.”

O fato de o Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Humanas ter sido classificado como A1 no Web Qualis na avaliação divulgada em 2016 “reflete a relevância do Boletim para divulgação científica e a inserção da revista nos programas de pós-graduação do Brasil”, explica a linguista Ana Vilacy Galucio, também coordenadora de Pesquisa e Pós-Graduação do Museu Goeldi.

Captar conteúdos de qualidade em diversas línguas – o Boletim publica em português, espanhol, inglês e francês – é uma constante nas ações editoriais. A abertura de canais de acesso os mais variados e reconhecidos é outra conduta para avalizar o periódico.

Livre acesso

A outra boa notícia de 2017 diz respeito exatamente a uma maior acesso ao conteúdo do Boletim. “A reinserção do Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Humanas no Directory of Open Access Journals, o DOAJ, é outra boa notícia, pois o acesso ao conhecimento divulgado em artigos científicos é um compromisso, particularmente verdadeiro para instituições públicas como o Museu Goeldi”, diz a Editora Científica do Boletim de Ciências Humanas, a jornalista Jimena Felipe Beltrão. Para ela, “A disponibilização dos conteúdos do Boletim na base auxilia no exercício contínuo de democratizar a informação.”

Apresentado desde 2016 apenas em versão eletrônica, o Boletim tem sua edição disponível também em canais como o Issuu. O alcance de públicos que transitam nas redes sociais também fez o Boletim abrir perfil no Facebook, onde divulga sistemática e individualmente os artigos publicados nas edições mais recentes.

Dentre os conteúdos do Boletim, além de artigos, publicam-se dossiês. Entre os mais recentes estão: Variação em línguas Tupí (v.10, n.2, 2015) e Dinâmicas das Agriculturas Amazônicas (vol. 11, n. 1, 2016).

Atualmente, o Boletim é publicado três vezes ao ano, com contribuições nas disciplinas da Antropologia (Qualis A2), Arqueologia (Qualis A2), História (Qualis A2) e Letras/Linguística (Qualis A1). Confira os conceitos do Boletim no Web Qualis e envie seu trabalho: https://goo.gl/kkSO9E.

 

Visite o site do Boletim http://www.museu-goeldi.br/editora/humanas/index.html

Leia o Boletim no Issuu http://issuu.com/bgoeldi_ch

Siga o Boletim no Facebook http://www.facebook.com/boletimgoeldiCH

 

Texto: Jimena Felipe Beltrão (Editora Científica do Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Humanas.)