Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Prêmio Samuel Benchimol 2016 para o Museu Goeldi
conteúdo

Agência de Notícias

Prêmio Samuel Benchimol 2016 para o Museu Goeldi

Patrocinadores homenageiam a instituição pelos seus 150 anos. O prêmio incentiva e reconhece instituições e projetos sustentáveis, inovadores e criativos em prol do desenvolvimento da Amazônia.
publicado: 31/10/2016 17h45, última modificação: 06/03/2018 14h38

Edição 2016 dos prêmios exaltou os 150 anos do Museu GoeldiAgência Museu Goeldi – A organização dos Prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente escolheu o Pará para ser a sede de sua 13ª edição. Focados em projetos e instituições sustentáveis, inovadoras e criativas em prol do desenvolvimento da região amazônica, em 2016 os prêmios renderam homenagens ao sesquicentenário do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG). A cerimônia de premiação aconteceu na noite da última sexta-feira, dia 28 de outubro, no Hangar - Centro de Convenções da Amazônia, em Belém.

O coordenador nacional do Prêmio Professor Samuel Benchimol, José Rincón Ferreira, exaltou a história de contribuições do Museu Goeldi à ciência e o marco do 150º aniversário.  “O Museu Goeldi é maior que o prêmio. Não imagino o que seria de nós nos estudos da Amazônia se não tivéssemos o Museu Goeldi”, destacou. “Eu espero que os 150 anos sejam comemorados com a mesma emoção pela classe científica do Brasil e pela sociedade, porque o Museu Goeldi também popularizou a ciência, ele fez valer a importância da ciência para o homem, ele deu nome à animais, à flora. É de uma história tão bela, que essa homenagem é pequena pelo que ele é”, destacou Rincón.

“O Museu Goeldi estreita cada vez mais sua relação com o setor produtivo. Como instituto de ciência e tecnologia, trabalhamos para a preservação e crescimento da região, e o reconhecimento da organização dos prêmios vem somar às comemorações dos 150 anos da instituição”, afirmou Roseny Mendes, vice-diretora e representante do Museu Goeldi na cerimônia, momento em que a instituição foi homenageada com um troféu e um certificado da premiação.

Em 2016, a Federação das Indústrias do Estado Pará (FIEPA) foi a organizadora dos prêmios em escala local. A cada ano, a responsabilidade é passada a uma federação da indústria da Amazônia Legal. Para o diretor executivo da FIEPA e coordenador regional do prêmio, Ivanildo Pontes, o “timing” não poderia ter sido mais preciso. “Para nós foi um presente, porque os prêmios 2016 coincidiram com datas muito relevantes como os 400 anos da cidade de Belém e os 150 anos do Museu Paraense Emílio Goeldi. É uma satisfação muito grande poder prestar essa homenagem”, disse.

A vice-diretora do Museu Goeldi, Roseny Mendes, com as homenagens em mãosSamuel Benchimol - Economista, pesquisador e professor, Samuel Benchimol (1923-2002), dedicou sua vida acadêmica à Amazônia, com atenção para a necessidade de respeitar a natureza, a pesquisa e o desenvolvimento de forma sustentável. Ele é autor dos livros “Amazônia: Um Pouco Antes e Além-Depois”, “O Pacto Amazônico e a Amazônia Brasileira”, “Amazônia: Formação Social e Cultural”, “Eretz Amazônia: Os Judeus na Amazônia e Zênite Ecológico e Nadir Econômico-Social”.

Em sua 13ª edição, os Prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente agraciaram o presidente da Federação da Agricultura do Estado do Pará (FAEPA), Carlos Fernandes Xavier, com a honraria “Personalidade Amazônica” e a AGROPALMA S.A. como “Empresa na Amazônia”.

Outros agraciados com a premiação, foram os pesquisadores Marcos Emanuel Barroncas Ferna (PA) na categoria “Projetos de Natureza Ambiental”, Jadir de Souza Rocha (AM) na categoria “Projetos de Natureza Econômica-Tecnológica”, Adriana Ribeiro Francisco (SP) na categoria “Projetos de Natureza Social”, Janaina Cardoso de Mello (SE) na categoria “Economia Criativa”, Allana Trajano Feijão (AP) na categoria “Economia Verde” e Maria Lopes Alves Brito em “Microempreendimento de Sucesso na Amazônia”.

 

Texto: João Cunha